All Posts By

Aretha Soyombo

autoestima

A Pressão Social e seu bem estar

novembro 15, 2017
Pressão Social

Outro dia eu li uma reportagem em que dizia que a maioria das pessoas com 30 anos não estavam “assumindo as rédeas da própria vida”. Mesmo tendo 21 anos ler isso me deu um certo alívio. Eu sempre fui uma pessoa extremamente ansiosa, e desde 2004, quando eu tinha 8 anos, e Jennifer Garner nos ensinou que 30 era a idade do sucesso. Eu internalizei essa frase. Sendo assim, cada ano que passa eu faço uma contagem regressiva até os 30 anos e dependendo do ano eu me sinto bem ou mal com essa situação.

Eu percebo que a sociedade cobra umas atitudes, umas responsabilidades da gente. A gente que eu digo, todo mundo. 30 é a idade do sucesso. O que seria o sucesso? Pra mim, Aretha Soyombo, sucesso significa ter um emprego bom e estável, ter um marido ótimo vibes Rodrigo Hilbert, estar bem gata e gostosa, tipo a Gabrielle Union e ter minha casa cheia de filhos. E de certo modo eu idealizei isso como sucesso porque, socialmente falando, é/seria o correto. É o que as histórias de princesa e os filmes de Hollywood nos ensinam desde sempre. Ok que ultimamente as coisas tem mudado, lentamente, mas enfim… continue lendo

autoestima moda

10 Mulheres negras para seguir no instagram

setembro 1, 2017
10-mulheres-negras-para-seguir-no-instagram

Fazia um tempo que eu estava pensando em escrever um post sobre isso, mas devido a alguns acontecimentos e a correria do dia a dia eu não consegui organizar as ideias e as dicas da semana hahaha. Conversando com a minha irmã, com a minha melhor amiga, que também é negra, e com outras meninas no Twitter, eu vi que assim como eu elas também procuram meninas negras para seguir no Instagram e se inspirarem não só no look do dia, mas no “estilo de vida”.

Eu já bati na tecla de como representatividade é importante, e eu amo seguir mulheres negras no Instagram para me sentir representada, para ver que se uma mulher negra alcançou aquela posição eu também posso alcançar, se uma mulher negra se sente linda e estilosa eu também posso. Algo mais ou menos assim. Representatividade. Teve um ano que eu só seguia mulheres que não tinham nada a ver comigo, tanto no estilo de vida, que era muito inacessível pra mim, quanto no que diz respeito a estética. continue lendo

autoestima

Apropriação cultural existe?

julho 23, 2017
apropriacao-cultural

Há muito tempo eu venho pensando em fazer ou não um texto sobre apropriação cultural. Se eu ganhasse 1 real a cada vez que alguém viesse no meu inbox pedindo pra discutir o caso eu estaria discutindo o caso com a pessoa em Nova York. Eu estava bastante receosa em fazer esse texto porque queria e quero evitar problemas pro meu lado. Você não é obrigado a concordar comigo, mas eu acho que é necessário haver empatia pela causa alheia, sempre. Independente de qual seja.

continue lendo

autoestima

O padrão de beleza negra

julho 2, 2017
o-padrao-de-beleza-negra

Outro dia, antes de dormir, eu estava conversando com a minha irmã sobre o padrão de beleza negra. Normalmente, aqui em casa, com a minha família, nós falamos sobre esses assuntos, e além do padrão de beleza a gente já falou muitas vezes sobre o negro que é mais bem aceito pela mídia. Eu particularmente não poderia reclamar tanto no que diz respeito a beleza, uma vez que no espaço que eu vivo, as pessoas do meu circulo social valorizam a minha estética. Mas infelizmente não é assim com todo mundo. continue lendo

autoestima

Tranças e representatividade negra

junho 18, 2017
Tranças e representatividade negra
Você já parou pra refletir na relação entre tranças e representatividade negra?

Há umas semanas uma colega minha que faz jornalismo pediu para fazer uma “entrevista” comigo para que eu falasse sobre minhas tranças. Enfim, durante as perguntas que ela me fez, houveram algumas que eu nunca tinha parado pra refletir, por exemplo: “o que as tranças significavam pra mim” ou “por quê eu comecei a usar?”

continue lendo

autoestima

Relação entre autoestima e virgindade

junho 4, 2017
autoestima-e-virgindade

Muito do que eu escrevo, pra não dizer tudo, é baseado no que eu vivo e nas minhas conversas com as minhas amigas e colegas. Essa semana uma amiga minha de 17 anos, vamos chama-la de Catarina, me mandou uma mensagem no WhatsApp assim: “amiga, com quantos anos você perdeu o seu V card?”.  Eu, com 21 anos, me considerava bem jovem, mas me senti uma anciã por não saber o significado dessa expressão. A primeira coisa que me veio a cabeça foi “Green Card”, nada a ver né, mas enfim, segue o baile. Eu perguntei o que seria isso e minha amiga me explicou prontamente que V card é virgindade. Inclusive, amei essa expressão, passei a aderir.

continue lendo