autoestima

A Pressão Social e seu bem estar

novembro 15, 2017
Pressão Social

Outro dia eu li uma reportagem em que dizia que a maioria das pessoas com 30 anos não estavam “assumindo as rédeas da própria vida”. Mesmo tendo 21 anos ler isso me deu um certo alívio. Eu sempre fui uma pessoa extremamente ansiosa, e desde 2004, quando eu tinha 8 anos, e Jennifer Garner nos ensinou que 30 era a idade do sucesso. Eu internalizei essa frase. Sendo assim, cada ano que passa eu faço uma contagem regressiva até os 30 anos e dependendo do ano eu me sinto bem ou mal com essa situação.

Eu percebo que a sociedade cobra umas atitudes, umas responsabilidades da gente. A gente que eu digo, todo mundo. 30 é a idade do sucesso. O que seria o sucesso? Pra mim, Aretha Soyombo, sucesso significa ter um emprego bom e estável, ter um marido ótimo vibes Rodrigo Hilbert, estar bem gata e gostosa, tipo a Gabrielle Union e ter minha casa cheia de filhos. E de certo modo eu idealizei isso como sucesso porque, socialmente falando, é/seria o correto. É o que as histórias de princesa e os filmes de Hollywood nos ensinam desde sempre. Ok que ultimamente as coisas tem mudado, lentamente, mas enfim…

Pressão social em minha vida

Com 19 anos, eu estava super mal na faculdade, não tinha um namorado, nem um ficante muito menos um contatinho, não tinha um emprego, e, resumindo, estava muito longe do meu sucesso que eu esperava alcançar em 11 anos. E eu realmente entrei numa onda de “ONZE PRA 30. EU NÃO VOU CONSEGUIR ALCANÇAR NADA DO QUE EU QUERO. EU VOU MORRER”.

Com o tempo eu consegui trabalhar isso em mim, mas eu fui atrás de ajuda pois isso estava me afetando muito. Mas não é todo mundo que tem acesso a esse tipo de ajuda. Infelizmente a pressão social pode atrapalhar, e muito, a vida de alguém.

Pressão social no dia a dia

Eu trabalho num cursinho pré-vestibular e os alunos fizeram uma redação esse mês sobre o aumento de depressão. Muitos falaram sobre a pressão social ser uma das principais causas da doença. É como se a gente tivesse que seguir os padrões que a sociedade impõe e se sairmos dessa curva a frustração é grande. Muitas vezes a gente não consegue lidar com isso. E o que mais me deixou reflexiva foi ver alguns alunos de 17, 18 anos sofrendo intensamente a pressão do vestibular, por exemplo, achando que de fato a vida deles dependia daquilo.

Eu já perdi as contas de quantas vezes eu chorei com os alunos entre uma correção de redação. Olhando de fora, eu conseguia até ter uma visão diferente da deles, mas eu entendo essa situação. É como se em cada fase da nossa vida a gente tivesse uma obrigação a seguir. Não que não tenhamos, mas é como se tivéssemos que fazer aquilo não porque queremos seguir tal caminho, e sim porque mandaram.

Pressão Social

Pressão social nos relacionamentos

Ainda sobre esse assunto, uma vez uma colega minha do Twitter com 18 anos, só 18 anos, me perguntou se eu já tinha namorado e eu disse que não. Quando eu tinha a idade dela eu falava isso baixo, com pesar porque EU achava bizarro o fato de eu “já ter 18 anos” e nunca ter namorado. Nessa conversa, minha amiga disse que se sentia um lixo e muito estranha por nunca ter tido um relacionamento e nunca ter apresentado um namorado aos pais, sendo que “todas as amigas dela já tinham passado por isso uma vez” e, além disso, “ela já tinha 18 anos”. MAS QUEM DISSE QUE 18 ANOS VC OBRIGATORIAMENTE PRECISA ESTAR NAMORANDO?

Mesmo procurando ajuda para tratar minha ansiedade, diversos momentos eu já me senti frustrada comigo mesma. Eu acho normal ter esses momentos às vezes. Eu, por exemplo, deveria ter me formado ano passado, e eu não me formei, eu me frustrei comigo mesma brevemente. Eu tenho metas difíceis para alcançar porque além de acreditar que vão me fazer bem financeiramente, são metas de realizações pessoais que vão demandar um tempo. Mas claro, todos os dias eu penso como eu vou lidar caso essas metas não forem alcançadas.

Mesmo assim, o que tem me ajudado muito a ficar mais de boa comigo mesma é pensar em um dia de cada vez. Clichê? Aham. Mas tem dado certo. E além disso, tenho feito metas curtas e, principalmente, metas que dependam apenas de mim. Casar e ter filhos ainda é meu sonho de princesa do Netinho, mas não agora. Então o foco é no que eu posso alcançar AGORA! Para minha felicidade antes de tudo, sem depender diretamente de outro alguém.

Salvar

Salvar

Postagens relacionadas

Nenhum comentário

Deixar resposta