autoestima

Relação entre o instagram e autoestima

maio 28, 2017
relacao-entre-o-instagram-e-autoestima

Vocês já pararam para pensar sobre a grande relação que o instagram e autoestima tem? Outro dia eu estava voltando do trabalho com uma amiga minha. Loira, dos olhos verdes e cabelo liso. Ela é linda. Papo vai papo vem e ai no meio da conversa começamos a falar sobre as redes sociais, e as vidas perfeitas do Instagram. Eis que ela me solta que estava realmente se sentindo muito mal, “um lixo” por se comparar tanto com as meninas que ela seguia. Ao mesmo tempo que fiquei surpresa, eu a entendi. Não foi totalmente uma novidade para mim ouvir aquilo dela.

O fato de eu ter colocado as características da minha amiga no texto foi que em um momento de desabafo, ela disse que se sentia mal por se sentir assim, uma vez que de acordo com a mídia ela estava dentro dos padrões. Então era como se ela não tivesse esse direito de se sentir mal. Isso também me assustou. Mas ai já é pauta pra outro texto, rs.

Enfim, ela me contou que ficava stalkeando as meninas e se sentindo cada vez pior em relação ao próprio corpo, e que ela só percebeu que isso estava fazendo mal a ela quando o namorado falou “você precisa dar unfollow nessas mulheres que você costuma seguir”. Foi aí que a ficha dela caiu.

inspire-someone-today

Conversando sobre isso com a minha amiga, eu me identifiquei. Fiquei surpresa porque eu achava que só eu me sentia dessa maneira. Lembro que em 2015 eu realmente vivi um momento tenso comigo mesma. Tinha 19 anos e estava com um peso acima do ideal. Não conseguia nem me olhar no espelho direito, tentava malhar, fazia umas dietas, não perdia um grama se quer. Acordava 7 horas da manhã e via snapchat de musas fitness que já tinha corrido 50 km, feito 400 abdominais, tinha um boy lindo, uma vida MARA. E eu lá, sem nem conseguir levantar as 6 pra malhar. Me sentia cada vez mais derrotada.

Seguia umas meninas que eram famosinhas de redes sociais ou até atrizes bem famosas que têm a minha idade. Todas elas ricas, magras, com um namorado lindo famoso. Eu me comparava o tempo inteiro e me sentia cada vez pior. Cada vez mais fracassada. E só depois de um tempo eu percebi que essas vidas, por mais verdadeiras que sejam, elas não são MARAS o tempo todo. E que eu não tinha necessidade de me comparar com elas, pois isso só estava me fazendo mal. Muito mal.

Na verdade, só fui  perceber como a vida não é 100% como mostram/mostramos nas redes sociais, quando no final do ano passado eu sofri horrores e nas fotos do meu Facebook e Instagram, eu estava com um sorriso enorme no rosto, mas eu lembro das angústias que eu sentia enquanto tirava aquelas fotos. Enquanto “curtia” aquelas festas. Logo eu, uma pessoa comum, que não tem a obrigação de agradar ninguém.

Relação entre o instagram e autoestima

Outro dia uma amiga compartilhou no Facebook uma notícia que mostrava que o Instagram era a rede social mais nociva à saúde mental, principalmente entre os jovens. Eu já tive minha saúde mental quase destruída pelo instagram. Minha amiga está ficando com a saúde mental destruída por causa do Instagram. Tudo isso por que? Porque a gente tem a necessidade de seguir pessoas que não nos representam, pessoas que têm uma vida que é quase “impossível” pra um reles mortal como a maioria de nós, pelo menos eu. E, por isso, eu sempre bato na tecla da representatividade, porque quando me toquei que seguir meninas com vidas 100% diferentes da minha não era saudável pra mim, eu comecei a me inspirar em mulheres mais acessíveis. Em pessoas mais acessíveis.

Mais textos sobre autoestima aqui!

Eu não estou aqui pra falar pra vocês darem unfollow nessas pessoas. Mas se perceberem que isso está te fazendo mal, evite. Evite se comparar. Por mais clichê que seja, cada um é cada um. Cada vida é uma vida. Cada realidade é uma realidade e isso não te faz ser menor que ninguém. Não é errado se comparar caso isso te motive a seguir em frente. Caso isso te inspire. Do contrário, se lembre de que você não é pior que a musa fitness, que a atriz do momento ou qualquer outra it girl com a vida “perfeita”. São só vidas e pessoas diferentes.

 

Salvar

Salvar

Postagens relacionadas

6 Comentários

  • Reply Laryssa Machado maio 28, 2017 at 2:06 pm

    Oii Aretha, quem nunca se sentiu assim no Instagram né!? Mas o importante é a gente repensar essa atitude e pensar: essa vida dessa pessoa aqui no ig é real? porque eu me comparo muito com ela? entre outros. Além disso, quando estou para baixo faço lista das coisas boas em mim, das coisas boas que já fiz, isso me ajuda muito.

    abraços
    http://www.larydilua.com

    • Ana Luiza Palhares
      Reply Ana Luiza Palhares maio 28, 2017 at 8:59 pm

      Adorei sua reflexão! Obrigada por agregar ao texto da Aretha!

    • Aretha soyombo
      Reply Aretha soyombo maio 28, 2017 at 11:51 pm

      Oii laryssa! Adorei sua reflexão! Esse lance de fazer uma lista com coisas boas que já fez é uma excelente ideia mesmo! ❤️

  • Reply Lucas Veloso maio 28, 2017 at 2:36 pm

    Amei o seu texto! Representa muito a realidade da maioria das pessoas. Uns insatisfeitos com o corpo, outras com o estilo de vida, mas como mesmo disse no texto, cada realidade uma realidade. Não nos tornamos piores pelo que temos, vivemos ou somos baseando-se nos outros, inclusive, o que está lá nas redes, nunca representa o dia a dia de quem a vive.

    • Ana Luiza Palhares
      Reply Ana Luiza Palhares maio 28, 2017 at 8:58 pm

      A Aretaha arrasou mesmo nessa publicação!

  • Reply Noemi junho 7, 2017 at 3:27 am

    Aretha
    Muito bom o que você escreveu
    Nada de se comparar com outras pessoas,cada uma tem seu brilho e jeito de ser
    Está escravidão com o padrão Instagram é nocivo à saúde mental

  • Deixar resposta